segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Cadê a democracia?

Tive conhecimento desse fato lastimável e revoltante no sábado, dia 4.
Na Escola Municipal Cacique Cunhãbebe (Frade) sempre houve, em períodos eleitorais, um simulado das eleições com os alunos e funcionários da escola. Os resultados sempre foram divulgados. Assim aconteceu nas eleições de 1996, 2000 e 2004.
Em 1996, a vitória foi de Castilho (PT); em 2000, o vencedor foi Fernando Jordão (PDT); em 2004, Fernando Jordão (PMDB) repetiu a dose. Em nenhum desses simulados houve interferência externa, nem quando no governo de Castilho o resultado foi desfavorável ao PT, nem no governo Jordão, quando o resultado foi favorável a ele.
Mas, no simulado desse ano, deu zebra: Conceição Rabha ganhou.
Quando os professores responsáveis pela atividade foram afixar o resultado nos murais da escola, a "surpresa": uma ligação do Sr. Guto, da Secretaria de Educação, comunicou à diretora que estava proibida a divulgação do resultado, pois se tratava de crime eleitoral.
COMO ASSIM, CRIME ELEITORAL?
NÃO ERA CRIME ELEITORAL QUANDO JORDÃO GANHOU?
QUAL A MOTIVAÇÃO DESSE FATO? ALGUÉM PODE EXPLICAR?
SÓ SE PODE DIZER ALGUMA COISA SE AGRADAR AO EXECUTIVO MUNICIPAL?
Estou me sentindo no tempo da ditadura militar. Só está faltando mandar prender quem é contra o regime do PMDB-Angra.

5 comentários:

Anônimo disse...

Fato lastimável é o que vou comentar agora:
Tem uma escola no "Campo Belo", que é apadrinhada pelo Vereador Pedro Miguel, e seus colaboradores e professores não recebem seus salários há 9 meses!
Ele ia até lá fazer campanha e não dava satisfação sobre seus salários.
Poucos dias antes das eleições eles tomaram coragem e pediram a coordenadora para tentar agendar uma reunião com ele.
Quando ele apareceu já sabendo do que se tratava, botava fogo pelas ventas, disse que não tinha nenhuma posição para eles. Uma das presentes disse que tinha ouvido dizer que ele já tinha recebido o dinheiro deles há dois meses atrás. Ele ficou maluco e ameaçou que ela ia ser procurada pelo advogado dele e que ela tinha que provar o que estava dizendo.
Então eles pediram que ele levasse até a escola o extrato que comprovasse que o dinheiro deles ainda não tinha sido depositado. Até ontem ele não tinha aparecido e eles estão sem saber se vão ou não receber os atrasados.
Fico pensando, será que esses profissionais continuam motivados a trabalhar para dar um ensino de qualidade para aquelas crianças carentes?
Como podemos ajudá-los a receber os atrasados e agora receberem dia?

LCláudio disse...

A título de informação, devo lembrar que o jornal A Cidade publicou, em sua edição de 15 de fevereiro de 2008, reportagem que fala que este senhor já responde denúncia no Ministério Público quanto a atraso em pagamento de funcionários. Na época, os funcionários não recebiam há oito meses. A SAFADEZA SÓ CONTINUOU!

Frô Buscapé disse...

Finalmente encontrei um "Blog Angrense" que fale da dura realidade de nossa cidade...Estou temerosa pelo rumo que as coisas estão tomando...muito embora a eleição já tenha terminado,manobras politiqueiras estão sendo organizadas a fim de decidir a eleição no "tapetão" mesmo...corre à boca miúda que o ex-vereador Pedro Miguel foi chamado para a pasta da Educação...dá para imaginar o pandemônio que a Educação em nossa cidade irá virar?

LCláudio disse...

Valeu Frô. Mas, infelizmente, também já ouvi essa versão de Pedro Miguel na Secr. de Educação. Cruz-em-credo, mangalô três vezes.

Patricia Dal Col disse...

Bate um total desespero! E eu nem estou numa escola do município. O que será de nós? Iremos nos calar por mais 4 anos? Professores, eu clamo: vamos responder a esses absurdos corajosamente! Vamos ocupar os espaços ainda democráticos nessa cidade e "botar a boca no trombone"! A TV COM por exemplo.